Novo composto previne morte neuronal após AVC


Um dos maiores problemas causados pelo acidente vascular cerebral isquêmico (AVC), o popular derrame, são os danos neurais, já que o desequilíbrio do fluxo sanguíneo faz com que neurônios fiquem sem oxigênio e, consequentemente, morram.

Algumas células nervosas, porém, resistem aos danos, mas ficam enfraquecidas, sendo eliminadas pelo organismo antes de se recuperarem. Pesquisadores americanos desenvolveram um medicamento que inibe a área do sistema de defesa responsável por essa tarefa, com o objetivo de evitar a perda de neurônios.

A droga foi testada em ratos e surtiu os resultados esperados, os quais foram divulgados na última edição da revista Science Translational Medicine. “Existe um núcleo isquêmico onde ocorre a maior privação de oxigênio. Neurônios nessa área são irremediavelmente danificados e morrem. Mas neurônios danificados fora do núcleo do AVC podem ser recuperados”, detalha, em comunicado, Stephen Tomlinson, principal autor do estudo e professor do Departamento de Microbiologia e Imunologia da Universidade de Medicina da Carolina do Sul.




O composto B4Crry reduziu a inflamação na área atingida pelo AVC e causou maior recuperação do aprendizado espacial e da memória das cobaias 12 dias após a ocorrência, comparando-se ao grupo controle, que não foi medicado. Os benefícios foram os mesmos em roedores tratados 24 horas depois do AVC — o primeiro dia é considerado o momento-chave para reduzir as complicações.

Fonte: Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares