O cliente quer discutir com a receita vencida. E agora?


Não é tão raro acontecer de o cliente chegar à drogaria com uma receita vencida, principalmente de um antimicrobiano (validade de 10 dias a partir da data da prescrição), e então o farmacêutico precisar informar que não é autorizado a vender o medicamento prescrito.

Neste momento, o cliente pode então dizer: "quero ver a lei onde está escrito o que você diz". Como vocês interpretam isso? É apenas um direito que o cliente exerce para se certificar da informação que está recebendo ou falta respeito por não dar crédito à informação transmitida oralmente por um profissional de saúde capacitado para exercer aquele papel?

Este cliente que se contraria com a informação transmitida pelo farmacêutico poucas vezes leva em conta que, se fosse para esbrajevar com alguém, precisaria ser com o prescritor, afinal este emitiu uma receita e não informou as condições para aquisição do medicamento.

As leis que o farmacêutico segue não são criadas por este profissional e tampocuo devem ser exercidas somente por ele. São leis elaboradas por um órgão regulador da saúde no país e, portanto, todos os profissionais de saúde devem submeter-se a elas para realizar o seu trabalho.




Se o prescritor desconhece uma lei que regula o seu ofício, então ele precisa reconsiderar sua conduta. Se ele deixa de passar orientações necessárias ao paciente para aquisição de seu tratamento na farmácia, igualmente precisa reconsiderar sua conduta.

Enquanto isso, o farmacêutico tolera o mau humor do cliente que não consegue o tratamento por não ter recebido informação de quem precisava receber. Óbvio que ele não ficará feliz ao ser informado somente quando chega na farmácia e já não pode mais utilizar a prescrição que tem em mãos.

O cliente pede então ao farmacêutico, ou melhor, algumas vezes exige, que a lei seja mostrada a ele. O farmacêutico pode até ter a lei impressa e mostrá-la a este cliente, o qual aceita o que foi dito após ver a informação escrita e se retira do estabelecimento, vendo que está sem razão para discutir.

Qual a vantagem para o farmacêutico? Satisfação por ganhar uma discussão? Não, insatisfação por precisar discutir em função do trabalho incompleto de outro e por não ser respeitado pelo que diz como profissional, precisando provar com um papel que a sua instrução está correta.


2 comentários:

  1. Uma ideia é deixar as principais leis que regulam a prescrição e a dispensação em anexo ao o manual de boas práticas, com os trechos mais polêmicos e as informações mais importantes destacadas.

    ResponderExcluir
  2. O paciente paga uma consulta muito das vezes bem cara e a maioria dos médicos não tem a capacidade ou talvez a boa vontade profissional de informar o mesmo sobre a validade da receita que está emitindo, e pra variar o farmacêutico que tem que ficar se justificando por estar cumprindo a lei.Talvez se cada um fizesse a sua parte isso não fosse necessário.

    ResponderExcluir

Os artigos mais populares