Pacientes curados da covid-19 mantêm coronavírus após fim dos sintomas


Talvez os 14 dias que estão sendo recomendados mundialmente para isolamento de pacientes confirmados com covid-19 não sejam suficientes para evitar que eles contaminem outras pessoas.

Pesquisadores da China e dos EUA descobriram que metade dos pacientes tratados por infecção por covid-19 ainda apresentavam coronavírus por até oito dias após o desaparecimento dos sintomas e a alta hospitalar.

De Chang e seus colegas monitoraram 16 pacientes com covid-19 que foram tratados e liberados do Hospital Geral de Libertação Popular, em Pequim (China).

Os pacientes estudados tinham uma idade média de 35,5 anos e receberam alta após sua recuperação e confirmação do status viral negativo por pelo menos dois testes consecutivos de reação em cadeia da polimerase (PCR). Os pesquisadores coletaram amostras de esfregaços da garganta de todos os pacientes em dias alternados após a alta.

"A descoberta mais significativa do nosso estudo é que metade dos pacientes continuou eliminando o vírus mesmo após a resolução de seus sintomas. Infecções mais graves podem ter tempos de liberação ainda mais longos," disse o Dr. Lokesh Sharma, da Escola de Medicina de Yale.

O tempo entre a infecção e o início dos sintomas (período de incubação) nesses pacientes foi de cinco dias, exceto em um caso. A duração média dos sintomas foi de oito dias, enquanto o tempo em que os pacientes permaneceram contagiosos após o final dos sintomas variou de um a oito dias.

Embora reconheçam que analisaram um pequeno número de pacientes, a equipe acredita que isso já é suficiente para alterar as recomendações sobre o isolamento de pacientes confirmados como portadores do sars-cov-2. Além disso, todos os pacientes analisados tiveram infecções mais leves, e o problema pode ser pior entre pacientes mais graves.

"Se você teve sintomas respiratórios leves da covid-19 e ficou em casa para não infectar pessoas, estenda sua quarentena por mais duas semanas após a recuperação para garantir que você não infectará outras pessoas," recomendou o professor Lixin Xie.

Fonte: diariodasaude.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares