Sete perguntas e respostas sobre benzodiazepínicos


1. COMO INCIDE O USO E QUAL É A PREVALÊNCIA DE DEPENDÊNCIA DE BENZODIAZEPÍNICOS?

Em função da taxa expressiva de uso por pelo menos 1 ano na vida de BZDs atingir 1 a 3% da população mundial, recomenda-se investigar sobre o consumo e observar se há indicações para sua continuidade, já que a síndrome de dependência de BZDs pode ocorrer em doses próximas à terapêutica. Estima-se que a prevalência do uso de BZD na população brasileira seja de 5,6% a 21% da população geral, sendo mais freqüente em mulheres e idosos. Já a taxa de dependência estimada é de 0,5%.

2. É POSSÍVEL USAR BENZODIAZEPÍNICOS POR MAIS DE TRÊS MESES E NÃO DESENVOLVER DEPENDÊNCIA?

O uso de benzodiazepinicos deve ser feito sob cuidados medicos e avaliado o custo beneficio de tal prescrição, incluindo dose e tempo de uso. Deve-se evitar seu uso prolongado (mais de três meses), pois isto aumenta a possibilidade de tolerância e dependência, de acordo com predisposição genética, uso de outras medicações e álcool, além de características da personalidade

3. OS BENZODIAZEPÍNICOS TÊM EFICÁCIA PARA O TRATAMENTO DA INSÔNIA CRÔNICA?

Os BZDs costumam perder o efeito sobre o sono ao longo do tempo, sendo ineficazes para o tratamento da insônia crônica, além de levar a alterações da arquitetura do sono. Assim, recomenda-se utilização de técnicas comportamentais e higiene do sono, melhor descritas no seguimento; além de um diagnóstico preciso das causas da insônia.




4. COMO AGIR EM CASO DE SINAIS E SINTOMAS DO ABUSO OU INTOXICAÇÃO AGUDA DOS BENZODIAZEPÍNICOS?

Em caso de sinais de intoxicação, o paciente deve ser encaminhado para serviço de emergência para avaliação criteriosa da condição respiratória e possibilidade de reversão com flumazenil.

5. QUAIS SÃO AS COMPLICAÇÕES MAIS GRAVES?

São complicações do uso de BZD a tolerância, a dependência e a síndrome de abstinência. A dependência dos benzodiazepínicos pode ser considerada uma das complicações mais graves e deve ser levada em conta pelo médico assistente. A dependência deve ser tratada.

6. QUAIS SÃO AS REPERCUSSÕES DO USO NA GRAVIDEZ E NO RECÉM-NASCIDO?

Ainda não ha estudos que comprovem de fato o risco do uso de benzodiazepinicos durante a gestação. O médico deve avaliar o risco e o beneficio de tal prescrição e procurar alternativas, se necessário.

7. QUAL MÉTODO DE TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA É MAIS EFICAZ: A REDUÇÃO GRADUAL OU A SUBSTITUIÇÃO POR UM BZD DE MEIA VIDA LONGA?

Para a maioria dos pacientes, a redução gradual é o melhor método de retirada, num processo que pode durar até seis meses. Em casos selecionados, de abuso de grande quantidade de comprimidos ou de drogas de meia-vida curta, pode ser recomendável a substituição por BZD de meia-vida longa.

Fonte: diretrizes.amb.org.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares