Descontinuação de medicamentos Sanofi Medley

A Sanofi Medley informa, por meio de comunicado em seu site (Agosto/2020), que notificou à Anvisa a descontinuação definitiva de fabricação dos medicamentos abaixo:

Desonol® loção tópica 0,05% 60g (desonida)

cefadroxila 500mG c/8, c/16 e c/ 48 cápsulas 

cefadroxila 500 mG/5mL e 250mG/5mL - pó para suspensão oral - frasco com 100 mL 

loratadina 1 mG/mL xarope – frasco com 100 mL 

loratadina + sulfato de pseudoefedrina 1 mG/mL + 12 mG/mL xarope - frasco com 60 mL 

valsartana 80mG c/30 e c/60, 160mG c/30 e c/60, 320mG c/30 e c/60 comprimidos revestidos

A empresa salienta que há alternativas terapêuticas disponíveis e recomenda aos pacientes que procurem o médico para orientação de tratamento.

Fonte: sanofi.com.br


Cientistas criam receptor celular que impede infecção por Sars-CoV-2


Para invadir o corpo do hospedeiro, o Sars-CoV-2 conecta sua proteína spike (de pico) ao receptor ACE2 da célula humana. Este processo pode ser impedido com a ajuda de anticorpos especializados em neutralizar a proteína — mas nem sempre essa técnica funciona.

Isso porque a proteína spike pode sofrer mutações que impedem os anticorpos de identificá-la e neutralizá-la, facilitando, portanto, a infecção pelo novo coronavírus. Pensando nisso, uma equipe de cientistas de diversas instituições de pesquisa norte-americanas resolveu explorar uma versão "solúvel" do ACE2.

Como o grupo explica em artigo publicado nesta terça-feira (4), na revista Science, a ideia era criar uma versão do ACE2 que pudesse neutralizar diversos tipos diferentes de proteínas spike. Para isso, eles criaram uma biblioteca contendo todas as possíveis variações de espícula e, então, desenvolveram uma versão solúvel do receptor celular, apelidada de sACE2.v2.4.

Segundo os cientistas, os testes realizados com a partícula tiveram resultados interessantes: ela foi capaz de neutralizar tanto o Sars-CoV-2, que causa a Covid-19, quanto o Sars-CoV-1, vírus da síndrome respiratória aguda grave (Sars). "É possível que o receptor neutralize diversos [tipos de] coronavírus que usam o ACE2 e ainda não atingiram os seres humanos", afirmam os pesquisadores, em comunicado.

Fonte: revistagalileu.globo.com

RDC 405/2020 - Controle de medicamentos durante pandemia


A Anvisa publicou, no Diário Oficial da União (D.O.U.) do dia 23/07, a RDC 405/2020, que estabelece regras de controle específicas para a prescrição, a dispensação e a escrituração de quatro fármacos: cloroquina, hidroxicloroquina, nitazoxanida e ivermectina. De acordo com a Agência, essa lista poderá ser revista a qualquer momento para a inclusão de novos medicamentos, caso seja necessário.

O objetivo da norma é coibir a compra indiscriminada de medicamentos que têm sido amplamente divulgados como potencialmente benéficos no combate à infecção humana pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), embora ainda não existam estudos conclusivos sobre o uso desses fármacos para o tratamento da Covid-19.

A medida visa também manter os estoques destinados aos pacientes que já possuem indicação médica para uso desses produtos, uma vez que os fármacos elencados na Resolução são usados no combate e controle de outras doenças, como a malária (cloroquina e hidroxicloroquina); artrite reumatoide, lúpus e outras (hidroxicloroquina); doenças parasitárias (nitazoxanida); e tratamento de infecções parasitárias (ivermectina).

Confira o documento oficial aqui: RDC 405/2020

Fonte: guiadafarmacia.com.br

Os artigos mais populares