Fármaco consegue inibir crescimento do câncer de pele


A equipe do professor Carlo Marchetti, do Centro de Câncer da Universidade do Colorado (EUA), está trabalhando com uma substância conhecida como NLRP3, um complexo intracelular que eles descobriram ter uma participação essencial no processo de inflamação gerado pelo melanoma, levando ao crescimento e progressão desse tipo mais agressivo do câncer de pele. Eles descobriram que, inibindo o NLRP3, é possível reduzir a inflamação e o crescimento do tumor.

Especificamente, o NLRP3 promove a inflamação e induz a maturação e a liberação de interleucina-1-beta, uma citocina que causa inflamação como parte da resposta imunológica normal à infecção. No câncer, entretanto, a inflamação pode fazer com que os tumores cresçam e se espalhem.

Para testar a nova terapia, a equipe usou um inibidor de NLRP3 tomado oralmente, chamado dapansutrila. Esse fármaco mostrou-se eficaz em ensaios clínicos para tratar a gota e doenças cardíacas, e atualmente está sendo testado também contra a covid-19.

Com os bons resultados, a equipe está agora usando a dapansutrila em pacientes com melanoma que são resistentes aos inibidores de pontos de controle - esses pontos de verificação são moléculas que o sistema imunológico ativa ou desativa em seu trabalho contra as células anormais, e algumas células cancerígenas usam esses pontos de controle para evitar serem atacadas.

Fonte: Diário da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os artigos mais populares